Publicado em 17/07/2019 por COBAP
Notícias da FAP/MG
Valor médio das aposentadorias e pensões do INSS não chega a 1,5 salário mínimo

17/07/2019 - A Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (COBAP) denuncia que, antes mesmo da aprovação da reforma da Previdência, a condição de vida de milhões de brasileiros é crítica, visto que a média nacional das aposentadorias e pensões do INSS não chega a um e meio salário mínimo. Os 34 milhões de beneficiários da Previdência Social estão muito próximos da linha da pobreza.


O presidente da COBAP, Warley Martins Gonçalles, reitera que as mudanças previstas na reforma da Previdência Social vão agravar substancialmente essa realidade, comprometendo a dignidade de milhões de cidadãos que trabalharam por décadas para construir o Brasil e contribuíram para ter direito à proteção social.


“Lamentavelmente com essa decisão o governo empurrou o povo para uma tragédia social sem precedentes”, afirmou Warley.


Dados divulgados pela Secretaria de Previdência Social mostram que o valor médio nacional das aposentadorias e pensões pagas pelo INSS é de apenas R$ 1.325,91 em maio de 2019, último mês divulgado. Em termos de quantidade de salários mínimos essa média não alcança um salário mínimo e meio.


Em termos regionais o quadro é desanimador. Apenas a região sudeste alcançou o valor de 1,5 salário mínimo (R$ 1.504,88). Nas demais regiões os valores são assim distribuídos: região norte, R$1.080,09; região nordeste, R$1.066,69; região sul, R$1.326,37; e região centro-oeste, R$1.267,49.


Em termos estaduais, São Paulo é o estado de maior média: R$1.626,99; seguido pelo Rio de Janeiro, com R$ 1.560,80 e Santa Catarina, com R$ 1.355,65. Os piores Estados são Maranhão, com R$ 944,38; Piauí, R$ 986,08; e Paraíba, R$ 1.036,88.


Esta situação é resultado do arrocho salarial promovido pelo governo federal que não permite que os aposentados e pensionistas que ganham acima do salário mínimo (que já somam mais de 11 milhões de pessoas) tenham reajustes que sequer acompanhe a realidade da inflação no País. A tendência é que, em muito pouco tempo, todas as aposentadorias e pensões sejam de apenas um salário mínimo, empobrecendo ainda mais o Brasil.