Publicado em 07/10/2019 por Vermelho.org
Notícias da FAP/MG
Senador afirma que reforma da Previdência é crueldade contra a população

Senador Jean Paul acusa governo de crueldade

 

 

07/10/2019 - Jean Paul Prates, senador do Rio Grande do Norte, pelo Partido dos Trabalhadores (PT), (foto acima) afirma que a proposta de reforma da Previdência Social, aprovada em primeiro turno pelo Senado Federal, é um verdadeiro ataque aos direitos da classe trabalhadora. O projeto, além de não combater privilégios, é um ajuste fiscal disfarçado de reforma, que diminui a renda dos mais pobres, dificulta o acesso à aposentadoria e aprofunda desigualdades sociais.

 

"Por isso, nossa bancada votou contra a matéria. Não somos contra reformar o sistema previdenciário, mas não aceitamos que essa mudança seja feita com base na retirada de direitos de trabalhadoras e trabalhadores", afirma o parlamentar (foto acima).

 

O senador disse ainda que o governo usou "dados falsos, além de fazer terrorismo econômico, para justificar a aprovação da reforma. Nós conseguimos, com muita articulação, manter no projeto o pagamento do abono salarial para trabalhadoras e trabalhadores que recebem até dois salários mínimos".

 

O governo Bolsonaro queria limitar o pagamento do benefício a quem ganha mensalmente até R$ 1.364,43. Caso a proposta tivesse sido aprovada, 12,3 milhões de trabalhadoras e trabalhadores perderiam o direito ao abono.

 

Essa reforma, em vez de combater, aumenta a desigualdade social, penaliza os mais pobres e fere de morte as economias dos pequenos municípios, fortemente dependentes dos benefícios pagos a aposentados e pensionistas. O objetivo do projeto, na verdade, é entregar a previdência pública ao setor privado. É uma crueldade com nossa população, concluiu Jean Paul.


Foto: Vinícius Ehlers