Publicado em 12/11/2019 por FAP/MG
Notícias da FAP/MG
12-11-2019: Data de tristeza e luto para o Brasil

12/11/2019 - A reforma da Previdência entrou em vigor nesta terça-feira (12/11). A data marca o fim de diversos direitos previdenciários, a redução sensível dos valores financeiros de todos os benefícios a serem concedidos e a brutal restrição ao acesso a tais benefícios.

 

Como o próprio governo Bolsonaro divulgou, será R$ 1 trilhão retirado dos bolsos e da boca de milhões de aposentados e pensionistas brasileiros. Esse dinheiro será integralmente destinado a grandes banqueiros nacionais e estrangeiros. O pagamento de juros e serviços da dívida já consome quase 50 % de TODOS os impostos pagos pela população. Pagamos uma dívida - quase eterna - que NUNCA foi auditada, nunca foi analisada.

 

Mais uma vez, os pobres ficam ainda mais miseráveis, para aumentar os lucros bi e trilionários daqueles que mandam no País: os grande banqueiros.

 

A imprensa ficou calada e aliou-se àqueles que saqueiam a Nação. O governo Bolsonaro serviu de capacho aos donos do Capital. Bolsonaro traiu até mesmo os policiais e militares, que também perderam com essa deforma, embora menos.

 

O movimento mineiro e nacional dos aposentados e pensionistas esteve dezenas de vezes com todos os deputados e senadores. Mostrou dados de que a Previdência não é e NUNCA foi deficitária. O CPI do Senado Federal também comprovou isto. O governo Bolsonaro se fez de besta. Obedeceu como vaca o que Guedes e os patrões dele mandaram.

 

Fizemos diversas manifestações em Belo Horizonte, ao lado da Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social, e também em Brasília. Enviamos ofícios e manifestos a todos os Parlamentares. Participamos de audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais denunciando o empobrecimento da população. Os maiores prejudicados serão os municípios menores, onde os aposentados e pensionistas representam muito para o comércio local. Empobrecer o aposentado é empobrecer o Brasil!

 

Conquistamos mudanças importantes no texto original da reforma da Previdência, como impedir benefícios do INSS em valor ABAIXO de um salário mínimo.

 

Mas, pelo bem do Brasil e dos brasileiros, a reforma NUNCA deveria ser aprovada. A reforma aumenta as desigualdades econômicas e sociais no Brasil. Aumenta a concentração de renda e as injustiças.

 

Em muito pouco tempo teremos milhares de trabalhadores idosos sem condições de se aposentar, por não terem a idade ou o tempo mínimo de contribuição.

 

Atualmente, 65% dos beneficiários do INSS ganham apenas um salário mínimo. Esse percentual vai aumentar ainda mais. Tudo para retirar o mínimo dos pobres e dar o máximo, quase tudo, para os patrões, para os donos do dinheiro.

 

A miséria e a pobreza há de cobrar esta conta. Que seja breve!!!


Robson de Souza Bittencourt
Presidente da Federação das Entidades dos Aposentados e Pensionistas de Minas Gerais (FAP/MG)