Notícias

01/12/2010 - Notícias da FAP/MG
Principais Doenças que afetam a população idosa
por FAP/MG

Cardiovasculares – enfarto, angina, insuficiência cardíaca. Fatores de risco: sedentarismo, tabagismo, diabetes, colesterol alto e obesidade. Sintomas: falta de ar, dor no peito, palpitações e inchaço. Prevenção: praticar atividades físicas, não fumar, controlar o peso, o colesterol e o diabetes. Por exemplo, caminhada três vezes por semana, por meia hora.

 

Derrames – acidente vascular cerebral. Fatores de risco e Prevenção: tal como no item anterior.

 

Pneumonia Causas: gripe, enfisema, bronquite, imobilização na cama. Sintomas: febre, dor ao respirar, escarro e tosse. Prevenção: vacina muito eficaz contra gripe e pneumonia.

 

Câncer – grupo de doenças que se caracterizam pela perda do controle da divisão celular e pela capacidade de invadir outras estruturas orgânicas. Pode ser causado por fatores externos (substâncias químicas, irradiação e vírus) e internos (hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). Tais fatores podem agir em conjunto ou em seqüência para iniciar ou promover o processo de carcinogênese. Em geral, dez ou mais anos se passam entre exposições ou mutações e a detecção do câncer. Fatores de risco: tabagismo, alcoolismo, exposição frequente e intensa ao sol, alimentação inadequada, obesidade ou casos na família. Prevenção: exames e consulta médica regulares, diagnóstico no estado inicial, tabagismo e sol em excesso.

 

Enfisema e bronquite crônica Sintomas: tosse, falta de ar e escarro.Fatores de risco: tabagismo, casos na família e poluição excessiva. Prevenção: casa ventilada e aberta ao sol, não fumar.

 

Infecção urinária Sintomas: ardor ao urinar e vontade freqüente de ir ao banheiro. Fatores de risco: Homens - retenção urinária e mulheres - incontinência.

 

Osteoporose – Em mulheres o risco é sete vezes maior. Sintomas: enfraquecimento dos ossos do corpo. Fatores de risco: dieta pobre em cálcio, fumo e sedentarismo. Em geral é diagnosticada quando o paciente sofre alguma fratura. Prevenção: atividades físicas, dieta com alimentos ricos em cálcio e não fumar.

 

Diabetes Sintomas: muita sede e aumento no volume de urina. Fatores de risco: obesidade, sedentarismo e existência de casos na família. A orientação é controlar o peso e a taxa de açúcar no sangue.

 

Osteartrose Sintomas: dores nas juntas de sustentação (joelho, tornozelo e coluna) e nas mãos. Fatores de risco: obesidade, traumatismos e casos na família. Prevenção: controlar peso e praticar atividades físicas.

 

Depressão – Não há uma causa única para desencadear a doença. Pode ser motivada por fatores psicológicos, como a perda de um ente querido, dependência de familiares, doença grave, fatores hereditários e mudanças no funcionamento do cérebro. Tratamento com antidepressivos é a forma mais usual.

 

Mal de Parkinson Causa: morte de neurônios ou perda da capacidade da célula nervosa de atuar no controle dos movimentos do corpo. Sintomas: tremores, rigidez nos músculos, dificuldades de locomoção e de equilíbrio. Tratamentos com medicamentos reduzem os efeitos.  Não há forma conhecida de prevenção.

 

Alzheimer – Forma mais comum de demência entre os idosos. Age nas partes do cérebro que controlam o pensamento, a memória e a linguagem. Causas ainda não determinadas. Idade é um dos fatores de risco. Os sintomas aparecem de forma lenta: dificuldade de lembrar-se de eventos recentes, nomes de pessoas e coisas familiares. Até chegar a grave dano cerebral. Prevenção – embora não comprovado: manter a mente ativa. Medicamentos amenizam alguns sintomas.

 

Catarata – Atinge o cristalino, a chamada lente do olho, formando uma camada que atrapalha e deixa a visão nebulosa. Pode levar à cegueira, mas uma cirurgia simples remove a catarata, devolvendo a visão ao paciente. O índice de recuperação satisfatória chega a 90% dos casos.

 

Glaucoma – É causado pelo aumento da pressão dentro do olho, o que pode afetar o nervo óptico e causar a perda da visão. Na maioria dos casos, as pessoas não apresentam sintomas enquanto a doença ainda está em desenvolvimento, antes de atingir o nervo óptico.  Prevenção: exames regulares. O tratamento pode incluir medicamentos e cirurgia.

 

 

Com informações do Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer e Guia Idoso – Serasa

Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.