Notícias

06/03/2018 - Notícias da FAP/MG
Empobrecer o aposentado é derrotar o País (artigo)
por FAP/MG

06/03/2018 - Certo dirigente do Movimento Brasil Eficiente , publicou artigo no jornal "A Tarde", o mais importante da Bahia, nesta terça-feira (6/3), dizendo que a derrota da reforma da Previdência Social, proposta pelo banqueiro Henrique Meireles e pelo mordomo Michel Temer, é uma derrota para o País.


O autor tece vários comentários errôneos sobre a Previdência Social. Cita números e argumenta como se fosse especialista. Mas vê-se logo, que está longe disso. Tudo o que fala é mentira.


A reforma proposta em nada aumentava a receita ou fortalecia o sistema brasileiro de proteção social para trabalhadores. Todas as medidas, sem exceção, vizavam reduzir os valores e dificultar o acesso aos benefícios previdenciários.


Inicialmente, o governo dizia que a reforma era necessária porque a Previdência estaria quebrada. A CPI da Previdência, realizada pelo Senado Federal, com dados verdadeiramente abalizados, comprovou que não há e nunca houve rombo na Previdência. Nunca existiu déficit.


Números da CPI comprovaram que a Previdência, entre 2000 e 2015, teve superávit de R$ 821 bilhões. Esse valor, corrigido, chega a R$ 2 trilhões.


Tanto a Previdência tem superávit que ela nunca atrasou um dia sequer nos pagamentos, que atualmente atendem quase 34 milhões de pessoas. Também comprova o excesso de recursos no caixa da Previdência a prática do atual e de todos os governos anteriores em retirar, desviar, perdoar e não cobrar receitas próprias do sistema de seguridade.


Como a mentira do déficit não pegou, o governo mudou de discurso e passou a falar que a reforma era necessária para "acabar com privilégios" dos servidores públicos. A emenda ficou pior do que o soneto. Os servidores se levantaram e mostraram que eles têm regimes de seguridade próprios. Se acabar a roubalheira, também vai sobrar dinheiro.


Melhor faria o autor do artigo se levasse as entidades empresariais a fiscalizar e acompanhar com rigor as contas do INSS. Atuar como previsto na lei, mas não cumprido por este e outros governos corruptos. Patrões e empregados são os verdadeiros sustentáculos da Previdência. Mas  é o governo quem manda, desmanda e rouba à vontade.


Empobrecer o aposentado, como foi proposto, isto sim é derrotar o País. Em mais de 60% dos municípios brasileiros, quem movimenta a economia são os aposentados e pensionistas, pois a renda deles é superior aos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de receita da maioria das prefeituras.


A proposta de reforma de Temer beneficia apenas os bancos, financeiras e grandes rentistas. Perdem o povo, a indústria, o comércio, a agricultura, o setor de serviços. Triste é ver empresário defender asneira dessa. É preciso acordar e deixar de repetir mentiras.


Robson de Souza Bittencourt
Presidente da Federação das Entidades dos Aposentados e Pensionistas de Minas Gerais (FAP/MG)

Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.
A-     A+

Não à PEC 287

Enquete
Quais as ameças do Governo aos trabalhadores e aposentados?
Reajuste anual abaixo da inflação
Pensões e aposentadoria abaixo do Salário Mínimo
Fixar idade para aposentar aos 65 anos e subir para 75 anos
Retirar recursos próprios da Previdência para pagar dívida
Dificultar e negar pagamento de pensão por morte
Dificultar e negar pagamento de auxílio doença
Cortar investimentos em saúde, educação, segurança...
Todas as opções acima e muitas outras
Agenda