Notícias

01/04/2019 - Notícias da FAP/MG
Na proposta de reforma, mulheres são as mais prejudicadas
por FAP/MG

01/04/2019 - A proposta de reforma da Previdência, encaminhada ao Congresso Nacional pelo Governo Bolsonaro, prejudica toda a população brasileira, à exceção dos militares.


As mulheres, contudo, serão ainda mais afetadas e penalizadas do que os demais segmentos. Para elas haverá a elevação da idade mínima, aumento do tempo mínimo de contribuição e outros prejuízos pela combinação desses requisitos.


Também as regras de transição impõem às mulheres maiores dificuldades para acesso aos benefícios quando comparadas com as regras atuais e com as regras de transição da PEC 287, que era a proposta do governo Temer.


Ainda reduz o valor e dificulta o acesso ao acúmulo de benefícios, às pensões por morte e ao Benefícios de Prestação Continuado (BPC). Em todas essas situações, as mulheres são o público majoritário e serão, por isso, mais atingidas do que os homens.


Para piorar o cenário, a reforma ainda as penalizará com grandes perdas nos valores dos benefícios, em função das mudanças propostas nas regras de cálculo no momento da concessão.


Estudo técnico do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) detalha essas maldades criadas especialmente contra as mulheres.


Podemos e devemos barrar essa "reforma" que, em nenhum momento, propõe cobrar as dívidas bilionárias e acabar com os desvios e sonegação dos recursos PRÓPRIOS da Previdência e da Seguridade Social. Sacrifícios são exigidos apenas dos aposentados, pensionistas e trabalhadores, justamente os que menos têm.


Senhores Deputados Federais, pensem nestas injustiças e façam a parte de você, legislando a favor do povo e não dos banqueiros, grande beneficiários da "reforma".


Clique abaixo e leia a íntegra do Estado do Dieese.

Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.